Páginas

31 de jul de 2007


Não é esquisito...

Quando o outro não faz é preguiçoso.
Quando você não faz... está muito ocupado.
Quando o outro fala é intrigante.
Quando você fala... é crítica construtiva.

Quando o outro se decide a favor de um ponto, é "cabeça dura".
Quando você o faz... está sendo firme.

Quando o outro não cumprimenta, é mascarado.
Quando você passa sem cumprimentar... é apenas distração.

Quando o outro fala sobre si mesmo, é egoísta.
Quando você fala... é porque precisa desabafar.

Quando o outro se esforça para ser agradável, tem uma segunda intenção.
Quando você age assim... é gentil.

Quando o outro encara os dois lados do problema, está sendo fraco.
Quando você o faz... está sendo compreensivo.

Quando o outro faz alguma coisa sem ordem, está se excedendo.
Quando você faz... é iniciativa.

Quando o outro progride, teve oportunidade.
Quando você progride... é fruto de muito trabalho.

Quando o outro luta por seus direitos, é teimoso.
Quando você o faz... é prova de caráter.

A MORADA NO CÉU.

Um homem muito rico morreu e foi recebido no céu. O anjo guardião foi mostrando-lhe as casas e moradias. Passaram por uma linda casa com belos jardins. O homem perguntou: “Quem mora ai?”. O anjo respondeu: “É o Raimundo, aquele seu motorista que morreu no ano passado.” O homem ficou pensando: Puxa! O Raimundo tem uma casa dessas! Aqui deve ser muito bom! Logo a seguir surgiu outra casa ainda mais bonita. “E aqui, quem mora?”, perguntou o homem. O anjo respondeu: “Aqui é a casa da Rosalina, aquela que foi sua cozinheira.” O homem ficou imaginando que, tendo seus empregados magníficas residências, sua morada deveria ser no mínimo um palácio. Nisso o anjo parou diante de um barraco construído com tábuas e disse: “Esta é a sua casa!“. O homem ficou indignado. “Como é possível! Vocês sabem construir coisa muito melhor”. “Sabemos - respondeu o anjo - mas nós construímos apenas a casa. O material são vocês mesmos que selecionam e nos enviam lá de baixo. Você só enviou isso!” Moral da história: Cada gesto de amor e partilha é um tijolo com o qual construímos a eternidade. Tudo se decide por aqui mesmo, nas escolhas e atitudes de cada dia.


A ÁRVORE QUE CHORAVA

Certa vez, quando um dos anjos de Deus saía para iniciar mais um dia de ajuda aos filhos de Deus, escutou um choro sentido vindo de um campo.

Pensou tratar-se de algum ser humano, mas, ficou surpreso ao ver que quem chorava era uma árvore.
- Por que choras, dona árvore? perguntou-lhe o anjo.

- Choro porque mais um dia vai começar, e o meu sofrimento também.

- E o que a faz sofrer, minha amiga? Será, porventura, o calor do sol?

- Não, "seu" anjo, o sol me faz bem. O que me faz sofrer são as pessoas. Tanto as grandes quanto as pequenas. Elas jogam pedras em mim o dia inteiro. Não consigo entender, "seu" anjo. Eu faço de tudo para agradá-las, mas, elas continuam me maltratando. A árvore aí ao lado, ó, não produz nada, e ninguém maltrata ela. Mas, eu, que me esforço tanto para produzir frutos deliciosos, só levo cacetada. Por que será que elas não gostam de mim?

- Ah... então é isso. Você está enganada, dona árvore. As crianças gostam demais de você e dos seus frutos, por isso elas jogam pedras em você: é para pegar seus frutos.

- Será, "seu" anjo?

- Tenho certeza, minha amiga. Preste bem atenção, pois esta frase não é minha. É deles, dos próprios seres humanos, e é tão antiga quanto a própria humanidade. Sabe o que eles dizem sobre isso? Eles dizem o seguinte:

Ninguém joga pedra
em árvore que não dá fruto.

Alegre-se minha amiga, se estão jogando pedra em você, é porque você está produzindo alguma coisa boa.


Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Ó meu único amor, minha única aspiração – Santo Agostinho

'Ó meu único amor, minha única aspiração! Pode existir uma só criatura racional que não te ame? Eu te amo, meu Deus, de toda a minha alma, de todo o meu coração, de todas as minhas forças. E me alegro por tua glória e tua majestade. Quem não te amaria, Amor cheio de ternura, o Bem perfeito único, digno, acima de tudo, de ser amado?

Fogo, que sempre queimas e jamais te extingues, abrasa-me e queimarei também de um amor que só a ti ama, em tudo e acima de tudo'.

Meus olhos são para a luz

'Meus olhos são para a luz,

para o verde da primavera e o branco da neve,

para o cinza das nuvens e o azul do céu,

para as estrelas na noite

e para o incrível milagre de tantas pessoas surpreendentes

que estão ao meu redor.

Minha boca é para a palavra,

para toda boa palavra

que alguém espera.

Meus lábios são para um beijo

e minhas mãos, para a doçura e a ternura,

para a consolação e o pão do pobre.

Meus pés são para o caminho

que conduz aos que nada têm.

Meu coração é para o amor e o calor,

para aqueles que têm frio e vivem solitários'.