Páginas

31 de jul de 2007

Ó meu único amor, minha única aspiração – Santo Agostinho

'Ó meu único amor, minha única aspiração! Pode existir uma só criatura racional que não te ame? Eu te amo, meu Deus, de toda a minha alma, de todo o meu coração, de todas as minhas forças. E me alegro por tua glória e tua majestade. Quem não te amaria, Amor cheio de ternura, o Bem perfeito único, digno, acima de tudo, de ser amado?

Fogo, que sempre queimas e jamais te extingues, abrasa-me e queimarei também de um amor que só a ti ama, em tudo e acima de tudo'.

Nenhum comentário: