Páginas

8 de jun de 2007

A Existência de Deus



Dominique era dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior.
Era um homem bastante inteligente mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa além do seu mundo material.
Um certo dia, estava ele fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos dizendo que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer. Muito nervoso e após insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia para pegar o remédio. Sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou pegando o remédio mesmo no escuro, entregou-o à criança, que agradeceu e saiu dali às pressas.
Minutos depois, percebeu que havia entregado o remédio errado para criança e, se aquela mãe o tomasse, seria morte instantânea.
Desesperado, tentou alcançar a criança mas não teve êxito.

Gritou em desespero, e o tempo passava e nada acontecia. Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realmente existia um Deus que não o deixasse passar por assassino.
O tempo passava e ele, de joelhos ficava pensando que a mulher poderia já estar morta e, certamente, ele teria de pagar por isso.
Refletiu sobre suas intemperanças, sobre seu mau humor, principalmente sobre sua insensatez.
De repente, sentiu uma mão tocar-lhe o ombro esquerdo e ao virar deparou-se com a criança em prantos. Naquele momento ficou desconsolado. Mas tinha uma certeza: Deus, de fato, não existia. Já podia imaginar o que estava para lhe acontecer.
O choro e o olhar triste daquela criança lhe atravessava a alma. No entanto, como um lampejo de sabedoria, perguntou ao menino o que lhe havia acontecido.
Então aquela criança começou a dizer:
- "Senhor, por favor não brigue comigo, mas é que caí e quebrei o vidro do remédio, dá pro senhor me dar outro?"

Deus existe e te conhece pelo teu nome. Ele sempre tem o melhor para você, por mais que as circunstâncias mostrem o contrário. Creia neste amor que é maior do que qualquer um dos seus problemas, mesmo que estes sejam grandes e de difícil resolução.
Creia na vida melhor que Ele tem preparada para você!
Creia neste amor ! Não considere esta mensagem como religiosa: é algo muito maior do que religião. É uma mensagem sobre o amor de Deus que te faz estar próximo dele.

A religião nunca fez das pessoas filhos e filhas de Deus.
Quem te faz próximo ao seu Pai é este amor.
Creia em todos os instantes deste dia como se fossem milagres realizados só para você, pois você é, com toda certeza, um dos milagres de Deus aqui na terra.

A Biblia pode ser livremente interpretada?



PDF Imprimir E-mail


O triste resultado da livre interpretação da Bíblia pelos protestantes é a divisão em milhares e milhares de seitas, contrária à vontade e oração de Jesus na Última Ceia: (Jo 17,20-21). "Não rogo só por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim, por meio da sua palavrva, para que todos sejam uma só coisa, assim como tu, ó Pai, estás em mim e eu em ti; também eles sejam um em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste".
Outro lastimável efeito nestas seitas é a negação de alguns sacramentos e de muitas verdades importantes, contra a expressa ordem de Cristo: (Mt 28,19-20) "Ide, pois, ensinar todos os povos... ensinando-os a observar tudo o que vos mandei".

A Igreja Católica zelava sempre para permanecer fiel e obediente à vontade de Cristo. Por isso, apesar de tantos séculos, tantas raças e línguas, guarda firmemente a unidade e toda doutrina e todos os sacramentos recebidos de Jesus. Por isso já São Paulo a chamava "Coluna e fundamento da verdade" (I Tm 3,14-15). "Escrevo-te para que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e fundamento da verdade".

O mesmo São Paulo, zelando pela fidelidade doutrinal, exorta o bispo de Creta: (Tt 1,5-9) "...É preciso que o bispo seja... aderindo firmemente à palavra fiel... para que possa exortar segundo a sã doutrina e refutar os que a contradizem".

b) Alguns protestantes argumentam em favor da livre interpretação da Bíblia com as palavras de São Paulo (II Tim 3,14-17): "Desde a infância você conhece as Escrituras... Toda a Escritura divinamente inspirada é útil para ensinar, para repreender, para corrigir, para formar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, apto para toda a obra boa". Pois bem; claro mas a boa obra por excelência, recomendada por Jesus e igualmente por São Paulo, repetidas vezes, é a união de todos os cristãos na mesma Igreja - o Cordeiro místico de Cristo, na mesma fé, na mesma doutrina e tradição apostólica. Pelo contrário, as divisões e seitas são a pior obra, nascida por uso leviano e lamentável abuso da Bíblia.

Escutemos, ainda, as claras advertências bíblicas da carta de São Pedro: (II Pd 1,20) "Sabei, porém, antes de tudo, que toda profecia contida na Escritura não será sujeita à interpretação particular". E mais para frente ele escreve: (II Pd 3,16) "Nas quais (cartas de São Paulo) há algumas coisas difíceis, que os indoutos e inconstantes adulteram, como fazem também com outras escrituras, para sua própria perdição".

Comparação com a vida social organizada. Cada um de nós pode comprar livros medicinais, à vontade, e estudá-los. Mas somente os que estudaram a medicina na universidade e foram aprovados e diplomados como médicos, são autorizados a dar consultas e receitas, ou a fazer operações nos hospitais. E ninguém de nós arriscaria submeter-se à operação do coração, por um "curioso" autônomo.

As mesmas regras valem na pilotagem dos aviões e navios. Todos podem ler os livros de engenharia e pilotagem: mas somente os pilotos aprovados e diplomados ficam autorizados a conduzi-los.

O mesmo vale na sociedade religiosa, organizada por Cristo, na sua Igreja: Todos são convidados a escutar a voz da consciência e a ler e meditar as Sagradas Escrituras. Porém em coisas mais importantes, difíceis e duvidosas, Jesus deixou-nos os "médicos" e "pilotos" por Ele mesmo instruídos e autorizados para curar e guiar as nossas almas na difícil passagem para o porto da eternidade. Eles são os Apóstolos e seus sucessores, os papas e bispos católicos. Só eles têm a promessa de Cristo, de serem introduzidos pelo Espírito Santo em toda a verdade. (Jo 16,13). Dai garantia de Jesus: "Quem vos ouve, a mim ouve; quem vos despreza, a mim despreza; e quem me despreza, despreza aquele que me enviou". (Lc 10,16).



CRÉDITOS: Home Page do Curso de Liderança Juvenil (CLJ) da Paróquia São Vicente de
Paulo - Cachoeirinha - RS. O endereço é http://pagina.de/clj-svp
texto enviado pelo amigo Maicon Faviglia. Que Jesus os abençoe e proteja sempre.