Páginas

10 de ago de 2007

Salmo 23

Ainda que eu caminhe por um vale tenebroso,
nenhum mal temerei, pois estás junto a mim;
teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo.



Evito pensar em doenças
e da morte nem quero falar,
mas a realidade existe e insiste.

Se não fosse por ti, Senhor,
talvez eu me desesperasse,
mas Tu ficas comigo nas horas
de dor, de angústia e da separação.

E preenches com a tua presença
o vazio de minha pequenez,
a fraqueza de minha frágil existência.

Nenhum comentário: